Em qualquer época do ano, camisinha para prevenir o HIV!

Dados do Ministério da Saúde apontam que 73% dos novos casos de HIV no país ocorrem em homens

8 mar 2019
10h20
atualizado às 17h24
  • separator
  • comentários

O Ministério da Saúde lançou intensa campanha de prevenção ao HIV/aids e Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) para o carnaval 2019. Entre outras ações, serão distribuídos 12 milhões de preservativos masculinos com nova identidade visual.

O Ministério da Saúde lançou intensa campanha de prevenção ao HIV/aids e Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) para o carnaval 2019
O Ministério da Saúde lançou intensa campanha de prevenção ao HIV/aids e Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) para o carnaval 2019
Foto: Divulgação

Com o slogan, “Pare, pense e use camisinha”, a ideia da campanha é estimular o uso do preservativo, principalmente, entre os homens. Dados mostram que 73% dos novos casos estão sendo registrados entre pessoas do sexo masculino.

O Ministério da Saúde ainda destaca que a taxa de detecção de HIV cresceu 133% em homens de 20 a 24 anos entre 2007 e 2017.

Folia e precaução

O clima de carnaval é de diversão e folia, por isso algumas pessoas relaxam e acabam deixando de lado alguns cuidados com a prevenção do HIV e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis como a sífilis e o HPV.

Em caso de consumo de bebidas alcoólicas, a atenção deve ser redobrada. É importante lembrar que nada pode interferir na decisão de usar camisinha na hora das relações sexuais.

O Ministério da Saúde realizou ação de entrega de preservativos e conscientização sobre DSTs durante o durante o carnaval. 



Casos de HIV no Brasil

Pesquisa divulgada pelo Ministério da Saúde estima que 866 mil pessoas vivem com  HIV no Brasil. De acordo com o Boletim Epidemiológico de HIV e Aids divulgado no final de 2018, a epidemia no Brasil está estabilizada, mas isso não significa que os cuidados e a prevenção devam diminuir, até porque a taxa de detecção de casos de aids no país foi de 18,3 casos a cada 100 mil habitantes em 2017. Isso representa 40,9 mil casos novos, em média, nos últimos cinco anos.

O Ministério da Saúde também destaca que a taxa de mortalidade pela doença passou de 5,7 óbitos/100 mil habitantes em 2014 para 4,8 óbitos/100 mil habitantes em 2017. A redução é resultado da garantia do tratamento para todos -lançado em 2013- aliado à melhoria do diagnóstico, além da ampliação do acesso à testagem e redução do tempo entre o diagnóstico e o início do tratamento.

Tratamento

O uso da camisinha é a forma mais simples de proteção contra o HIV e outras IST (Infecções Sexualmente Transmissíveis) como a sífilis e o HPV, além de prevenir também uma gravidez não planejada.

O Governo Federal investe, além disso, em ações de prevenção combinada (uso de vários métodos), distribuindo preservativos masculinos e femininos, ações educativas, gel lubrificante e facilitação de acesso a novas tecnologias como a testagem rápida..

O Governo Federal financia o tratamento para o HIV/aids em todo o país e, desde 2013, o país adotou o tratamento para todos, independentemente da quantidade de vírus e da situação imunológica do paciente.

Até dezembro de 2018, por exemplo, 593 mil pessoas estavam em tratamento para HIV/aids no Brasil. Desses, 87% estão fazendo tratamento com o medicamento Dolutegravir, um dos melhores medicamentos do mundo, disponível gratuitamente no SUS.

Por fim, não custa lembrar: a aids é uma realidade no Brasil e ainda não tem cura. Use camisinha.

Fonte: TC
  • separator
  • comentários
publicidade