5 anos sem Amy Winehouse

  • separator
  • comentários

A sua trajetória foi tão intensa quanto fugaz e brilhante. Ela lançou apenas dois discos de estúdio em poucos anos de carreira e faleceu precocemente aos 27 anos. Mas o talento e personalidade foram o suficiente para Amy Winehouse revitalizar a música britânica, dar um novo gás à soul music e se tornar uma das lendas recentes da música pop.

Foto: napster

O jazz, que ela ouvia em sua casa, foi a porta de entrada de Amy na vida artística, se apresentando em pequenos clubes londrinos com a National Youth Jazz Orchestra. Mas seu talento e vocação para o canto e composição logo despertou a atenção das gravadoras. Lançado em 2003, o primeiro disco, Frank, embora elogiado pela crítica, não foi exatamente um sucesso comercial.

Tudo virou em 2006, com Back to Black, um retumbante sucesso de público e crítica. Impulsionado pelo hit “Rehab”, o álbum foi o mais vendido do mundo em 2007 – além de ganhar cinco prêmios Grammy. Alçada ao estrelato, a artista se tornou heroína da juventude britânica e ícone fashion.

Porém, apesar de bem-sucedida, sua carreira era frequentemente ofuscada por problemas pessoais – que envolviam relacionamentos conturbados, graves distúrbios alimentares e abuso de drogas e álcool. Afastada dos holofotes por um período, a cantora ensaiava um retorno em 2011, quando faleceu inesperadamente em sua casa.

Lançado em 2015, o premiado e polêmico documentário Amy: The Girl Behind The Name retrata a trajetória da mítica cantora e mostra, entre outros fatos, como o sucesso interferiu em sua vida. David Joseph, executivo da gravadora Universal, afirmou que “o filme aborda muitas questões sobre a sua família e a mídia, a fama e o vício, mas, o mais importante, ele capta a essência do que ela era, uma pessoa incrível e um verdadeiro gênio musical.”

Amy Winehouse partiu em 23 de julho de 2011

Para relembrar a data, preparamos uma homenagem em forma de playlist, com seus maiores hits, versões e parcerias.

Quer ouvir mais musicas? Assine o Terra Musica

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade